quarta-feira, 4 de julho de 2012

40 ideias para transformar sua casa com papel de parede

Lisos, com estampas discretas ou geometrismos marcantes, os papeis de parede mudam em um instante a cara do ambiente. Confira 40 ideias e inspire-se.


Transformar a casa em poucas horas é um sonho! E ele pode ser realizado com a ajuda de um antigo conhecido: os papeis de parede, que incorporam novas tecnologias, ficam ainda mais práticos e bonitos. Texturas diferentes, efeitos tridimensionais e outras novidades tornam esse recurso ainda mais versátil na decoração, além de estampas que vão de folhagens e flores aos grafismos mais elaborados.
O papel de parede foi a base para escolher os demais elementos coloridos no quarto. Assim, rosa e amarelo trouxeram alegria ao ambiente. Foram utilizados três rolos da coleção Grafismo, linha Azulejo, ref. 1863, da Bobinex (Illuminê Decoração). As almofadas rosa e azul são da Leroy Merlin, com rolinho da Cinerama. Nas laterais da cama, mesinha de MDF laqueada de branco (Etna) e gaveteiro amarelo Rolling, de aço (Tok & Stok), com abajur Wave (Leroy Merlin).
Folhagens são o tema do papel de parede, em um verde clarinho que acalma o quarto. Na cama, os tecidos criam um recanto aconchegante. Uma banqueta vem como apoio, com lugar para livros e luz de leitura.
Vibrante, o papel de parede amarelo e sem estampas deixa o cantinho mais animado. As flores e os livros criam um belo contraste.
O papel de parede listrado (Wallpaper) na cabeceira tem personalidade e dá o tom no dormitório do casal, que aposta num visual sofisticado e intimista. O piso de itaúba foi restaurado com raspagem e camada de verniz protetor.
O atrativo do quarto da menina é o papel de parede da marca Eijffinger, trazido da Holanda. Móveis (Secrets de Famille) e almofadas florais (tecido da Entreposto, execução de Kika Chic) arrematam a cena. 
O papel de parede com estampa romântica captura as atenções de quem entra na sala, planejada pela arquiteta Kika Baptista. A grande chaise faz as vezes de sofá e acolhe os moradores na hora de descanso. Móveis e objetos com acabamento em alto brilho remetem à estética oriental, também presente nas almofadas, futons e mantas, com estampas que dialogam com o papel e a parede em tom fendi, para intensificar a sensação de bem-estar.
Com piso e bancada de mármore piguês, o lavabo pedia um papel de parede sofisticado, como o padrão adamascado da linha Harmonia, da Bobinex (Lamostra Tecidos). "Ele tornou a área mais confortável", diz a arquiteta paulista Juliana Savelli, que assina o projeto.
Se a ideia é inovar no papel de parede, uma estampa original pode fazer toda a diferença: a dica da Tânia N., do blog Rostinhos Bonitos, é um modelo que imita prateleiras cheias de livros.
O espaço traz um clima romântico e feminino graças ao uso de papel de parede com motivo de rosas, teto pintado de vermelho e lustre de cristal com pedrarias. As arquitetas Noêmia Sahium e Rosana Kramer Siqueira também utilizaram pia de mármore bege e cuba branca com linhas retas, para suavizar a composição. O piso de porcelanato tem efeito visual de madeira antiga.
O chamativo papel de parede (modelo DIN EM 233, da Novamur, comprado na Bucalo) pedia uma cabeceira discreta, mas que fizesse contraponto à fria combinação de preto e branco. "A madeira trouxe o aconchego que faltava", diz a arquiteta Vanessa Trad, de São Paulo. Feito de MDF revestido de folhas de cumaru, o painel com 1,10 m de altura (marcenaria DN Interiores) ultrapassa a superfície do colchão em 50 cm. E repare que a peça se estende pela lateral da cama, envolvendo-a.
Tudo é branco no quarto, com exceção do papel de parede estampado em tons de azul, que reveste a faixa entre a escrivaninha e a prateleira.
Em vez de um único papel de parede, foram eleitas três estampas para o projeto, alternadas em faixas de 50 cm (a largura do rolo). Ficou harmônico porque os grafismos são da mesma família e exploram os mesmos tons de verde - ponto de partida para a definição da paleta de cores do ambiente. Em versões mais vibrantes, o matiz comparece em acessórios e móveis, como nas cadeiras do jantar.
O cantinho foi revestido com dois rolos de papel de parede (modelo Ollo, da Tok & Stok). As estantes branca e vermelha são funcionais e trazem sensação de movimento (Leroy Merlin). Em um saldão na Etna, foi adquirida a mesa de centro e o rack. O abajur vermelho e a luminária bege, sob a escada, são um achado do brechó Capricho à Toa.
O papel de parede em tons neutros, com estampa de listras horizontais, foi a solução proposta pela arquiteta carioca Roseli Muller para ampliar visualmente o lavabo de apenas 2,10 m². "Essa padronagem, combinada com o branco do piso e da bancada de marmoglass, faz com que o ambiente pareça ser maior do que é", explica. O espelho com arandelas nas laterais também contribui para aumentar o espaço.
O acabamento metalizado da mesa Tulipa dialoga com o papel de parede do mesmo tom. Note que a base do móvel deixa à mostra o rodapé do quarto de casal. Na composição da designer de interiores Roseli Croce, o efeito cenográfico se completa pelo pendente sobre o móvel lateral.
O papel de parede com estampa floral na cor lima (Wallpaper) é o destaque na parede do hall. O projeto é das designers de interiores Selma Milaré Rubim e Solange Vieira Rubim. A moldura dourada e imponente do espelho apoiado no chão, da Moldura Minuto, completa a ambientação.
O papel de parede com estampa floral (Wallpaper) dá destaque à parede no tom uva, que predomina na loja assinada pelo designer de interiores Fabio Colussi. De cada lado do painel, a decoração simétrica compõe o visual do ambiente, com espelho, vaso, gaveteiro e pitadas de clássico.
O papel de parede que mescla flores e pássaros dá um tempero inusitado à parede da sala de jantar do chef Demian Figueiredo. Mesa e cadeiras trazidas da casa da avó do proprietário ficam sobre o parquê original do apartamento dos anos 50, onde o morador reúne os amigos.
Nichos sobre o papel de parede listrado, parede espelhada e um jardim vertical formam o visual moderno e sofisticado do lavabo, projetado pela arquiteta Larissa Baptista Cassani.
O armário amarelo combinado com o papel de parede garantiu um ar de modernidade e jovialidade ao quarto.
Revestido com um delicado papel de parede importado, o painel na cabeceira da cama esconde um closet, que não havia no quarto. Cômoda da L´Oeil e mesinha de cabeceira da Micasa.
A parede da sala ganhou a estampa Gravura (ref. 3500), do fabricante Clube do Papel, encontrado na Papelaria São Paulo. E aquele papel de presente lindo e mais espesso também pode enfeitar as paredes do seu lar, doce lar: encadeie a estampa entre as folhas e fixe-as com fita adesiva de dupla face. O resultado é surpreendente e a economia garantida - mas não espere vida útil longa! Um patchwork de estampas também produz efeito arrojado na decoração: faça a sua montagem e curta o resultado.
Escolheu-se o papel de parede florido para dar vida às paredes deste quarto. Marcante, ele restringia a escolha de quadros. Depois de alguns testes e de um estudo de medidas que considerou a largura e a altura da parede, decidiu-se por fotos em preto-e-branco, emolduradas no tamanho 40 x 40 cm, com passe-partout branco, para criar uma espécie de painel. O resultado suavizou o estampado. O projeto é de Alberto Lahós e Marco do Carmo.
O papel de parede gráfico foi criado pelo designer Marcelo Rosenbaum e é fabricado pela Bobinex, em rolo de 10 m x 52 cm.
Restos de um antigo mostruário de papel de parede viraram um alegre painel na loja Garimpo Fuxique. Ana Strumpf, dona da loja, foi quem criou a vibrante mistura: ela escolheu as peças, compôs as imagens e preencheu a parede de 12 m².
Móveis de época, lustre de cristal e papel de parede listrado evocam a inspiração clássica deste quarto assinado pelos arquitetos Fernanda Abs e Fred Benedetti. Porém, há alguns toques modernos como os abajures de base metalizada e cúpula de tecido (Simone Figueiredo Luz), que quebram a sobriedade do estilo clássico.
O desenho do papel de parede virou a grande vedete deste espaço. Suas figuras femininas misturadas a formas orgânicas inspiraram até o desenho da bancada de Corian, bem art nouveau. "O grafismo combinou perfeitamente com o clima de boudoir que quisemos dar ao banheiro", diz Fábio Cardoso, que assina o projeto com o também arquiteto Alexandre Lobo. Apesar de boudoir ser um antigo cômodo de beleza feminino, duas cubas e dois espelhos revelam que a área aqui é partilhada pelo casal. Luz indireta, tons de bege e o revestimento de freijó lavado contribuem para o aconchego.
O papel de parede da Bobinex permite levar as flores para a parede. Este modelo é da linha Azulejo Flor, assinada por Marcelo Rosenbaum.
O papel de parede com estampado floral em azul-acinzentado confere personalidade clássica a esta sala de estar. Quatro poltronas com capas azul-marinho, com barra até o chão, reforçam o estilo sóbrio do ambiente, concebido pelas decoradoras Flávia Brito e Rebeca Borin. Almofadas listradas de tonalidade bordô quebram a predominância do celeste.
Toda revestida de papel de parede com motivo floral, a cozinha assinada pelas arquitetas Claudia e Daniela Lopes abriga também um espaço de copa. A inspiração vem da cor dos limões sicilianos. A cozinha tecnológica contrasta com o ambiente feminino da copa. Um dos destaques do ambiente é a cristaleira antiga reformada. Ao redor da mesa, cadeiras do lado esquerdo revestidas de tecidos com estampas e as demais, com estofado liso.
Márcia Franchini é autora desse espaço, onde o destaque é o papel de parede do modelo Brocante, da Alamanda. A escultura de casca de árvore é da paisagista Márcia Durão, contrastando com as cadeiras da A Especialista. O tapete clássico arremata, da Pazyryk.
Na composição do hall de entrada, entram em cena o papel de parede da Designers Guild ao fundo e a poltrona Diamante com capa de veludo, ambos do Empório Beraldin. O tapete felpudo é da Casa Fortaleza.
Inspirado no formato de uma cabeça de jacaré, o papel de parede da linha Mata é uma criação do arquiteto Marcelo Rosenbaum para a Bobinex.
O papel de parede Peixe, da Bobinex, é assinado pelo arquiteto Marcelo Rosenbaum. A Poltrona Mole, um clássico de Sergio Rodrigues, sobressai na composição.
Em tom neutro, o papel de parede italiano tem delicadas estampas de folhas e enche a livraria de glamour. Para combinar com essa base discreta, a arquiteta Ana Barata escolheu móveis de linhas limpas. Quase invisível, o aparador de acrílico contrasta com a peça original de cerejeira assinada por Zanine Caldas, que apoia alguns livros. Sobre o tapete chinês de seda sintética com toque macio, poltronas de couro ecológico branco se integram ao visual clean. A estante de MDF certificado, desenhada por Ana, recebeu revestimento de laminado melamínico. A pintura de acrílico sobre tela é de Mario Barata.
No hall, o papel de parede criado por Marcelo Rosenbaum para a Bobinex é delicado e marcante ao mesmo tempo. As latas recicladas foram usadas como cachepôs, adquiridas na Coopamar, sobre o banco de madeira reaproveitada (Cor da Rua). Sobre o piso, futon de algodão e veludo da Fábrica Pet (Pet Shop Jardim Paulista).
Flores por todos os lados. O papel de parede desenhado pela inglesa Tricia Guild cria uma parceria interessante ao lado da rusticidade suave do limestone, usado no piso, no rodapé e na pia. Projeto de Andrea Murao.
O tom do berço veio do azul predominante do papel de parede com a imagem do mapa-múndi. As cortinas de algodão em verde complementam o visual. Projeto de Zeca Amaral e Daniela Carvalho.
Menos é mais? Nem sempre. Neste ambiente para um casal, a personalidade forte conduziu a escolha do papel de parede e do mix de almofadas, que faz uma composição harmônica com o sofá. O mix fica completo com duas mesinhas de centro repletas de revistas e livros.
O papel de parede bege (Wallpaper) aquece o quarto. Na mesma nuance, a cabeceira, forrada de couro (Decoramelo), dialoga com os criados-mudos, de sucupira (Artefacto).

Um comentário:

  1. Olá, parabéns pelo post! E obrigada pela referência!
    Se interessar, curta também nosso blog em:
    http://www.julianasavelli.com.br/blog

    ResponderExcluir